Onde moram as palavras

Não faço verso, não faço prosa
Minhas palavras moram aqui – soltas
Procurando um sentido, um pouco de juízo
Para que sejam sentidas
Com a mesma força que saíram
Da ponta do lápis da poeta